Pelago – viajar na Kuninkaantie

August 30, 2014 in Pelago

pelago

Kuninkaantie (ou Kings Road, para quem gostar de coisas epicomedievais) é uma antiga estrada que liga Bergen (Noruega) a Estocolmo (Suécia), continuando depois até Helsínquia (Finlândia) e S. Petersburgo (Rússia). A estrada foi construída nos anos 1400 e picos e tem quase 2000 quilómetros de extensão.

Os nosso amigos da Pelago estão a fazer a estrada de bicicleta, por partes (que isto de se ter um negócio com bicicletas não nos deixa tempo para nos afastarmos em demasia da oficina). À medida que vão fazendo a rota, vão publicando episódios em vídeo para nos abrir o apetetite.

Aqui em baixo podem ver o primeiro episódio e devem aproveitar a desculpa para verem a nova gama deles aqui na nossa página. Ah, se estiverem com atenção, vão conseguir vislumbrar a nova Sibbo, um sonho montado em tubos Columbus e alimentado por um grupo Ultegra.

A Clássica do Manuel

August 29, 2014 in Restauros e conversões

bicicleta clássica (1 of 1)

Esta bicicleta, que podem ver com o Manuel, passou por várias transformações ao longo da sua vida. Aquilo que começou por ser uma pasteleira, chegou a ser uma bicicleta de montanha às mãos de um sobrinho mais criativo.

Finalmente, o Manuel decidiu que era tempo de voltar a dar a dignidade que a senhora merece e levou-a até ao nosso querido Druida, o homem dos ciclo-miminhos da Megastore dos Anjos.

A lista de supermercado? É já a seguir.

  • Rodas clássicas 26 1 3/8 com pneus Schwalbe Delta Cruiser creme;
  • Pedaleira Spieloos, transmissão Shimano com roda livre Sunrace, eixo selado Sunrace e pedais clássicos. O guarda corrente é da Velo Orange;
  • Travões Dia Compe;
  • Caixa direcção VP Components, avanço de cidade, punhos Brooks Slender Honey e campainha Ding Dong cromada;
  • Selim Brooks B67 Honey e espigão Kalloy Silver.

Duendes na Estrada – Gerês

August 28, 2014 in Duendes na Estrada

IMG_4694

Estávamos para iniciar esta série de postais há um bom par de meses, mas outras coisas foram aparecendo, umas melhores, outras piores.

E o que é esta série nova chamada “Duendes na Estrada”? Ora portantos, não é nada mais do que nada menos do que a publicação semi-narcísica das voltas que vamos dando com os amigos (muitos deles clientes que entretanto passaram a muito mais do que isso).

Para alívio das dinamarquesas do Departamento de Marketing da Velo Culture, que assim se vêem livres de duendes barulhentos por dias inteiros, estas voltas são frequentes e por isso mesmo esperem bastante material aqui na Gazeta da Adega do Ciclista.

A primeira série de fotografias foi tirada em Junho, no Gerês, num acampamento de três dias que serviu para comemorar a passagem do Velho Lau para o lado de lá da razão. A base da duendagem foi no Parque de Cerdeira, perto de Vilarinho das Furnas.

Com um tempo excelente, o fim-de-semana deixou saudades em todos. Apesar de algumas subidas a doer, não houve grandes danos a registar, exceptuando um pedaleiro partido, um morto num cenário apocalíptico que nada teve a ver com bicicletas e uma tenda emprestada que quase ficou fora de jogo.

O pedaleiro foi rapidamente substituído por um novo, ou não andasse o Homem que não tem um nome com três letras por lá. É que  para nós é tão importante ter no nosso kit básico um pedaleiro de substituição e o respectivo saca, como uma garrafa de aguardente (abagaçaaada) caseira. Quanto ao morto e à tenda, tudo acabou por se resolver, mais cova, menos cova.

Se gostaram das fotografias não percam o próximo episódio, porque nós… também não.

Nota: As fotografias foram tiradas por todas as pessoas que aparecem, menos dois, que tiveram preguiça de tirar os iCoisos do bolso. Ficam assim os créditos devidamente creditados.

Pelago Bristol

August 28, 2014 in Pelago

Como vocês bem sabem (ou deviam saber, se fossem bons leitores aqui da Gazeta da Adega do Ciclista), a finlandesa Pelago foi um reforço de peso na oferta das Megastores dos duendes.

Os dois rapazes por trás da marca, para além de terem um bom gosto  à prova de bala, têm também ideias muito próprias sobre isto de se fazer e vender bicicletas.

De tempos a tempos vão criando alguns vídeos para mostrarem as suas meninas. Este aqui em cima, dedicado ao modelo Bristol, foi um dos últimos a ser lançado.

A Charge e a Transcontinental 2014

August 27, 2014 in Charge

10527394_10152311836273099_4451864421858035_n

Por aqui, nos intervalos de trabalho passados na Adega do Ciclista, entre uma mini e outra, entre miradas às primeiras etapas da Vuelta e as eternas discussões sobre a próxima saída de bicicleta, temos acompanhado com interesse as ciclo-aventuras da Gaby Leveridge (a randonneuse mais tchan que conhecemos) e do Ben Thompson lá no blogue deles.

Esta semana o casal terminou brilhantemente a The Transcontinental Race, entre Londres e Istambul, prova que realizaram em doze dias. Para a façanha contaram com o apoio da Charge e os preparativos podem ser vistos no vídeo aqui em baixo.

As dinamarquesas do Departamento de Marketing já foram informando os duendes que para o ano querem fazer a brincadeira. Também informaram que é melhor o Departamento Administrativo e Financeiro, gerido com mão de ferro pelo Homem que não tem um nome com três letras, começar já a poupar uns trocos para as equipar como deve ser.

Savoir faire e ironia

August 27, 2014 in Nitto

Este video do Ryota Kemmochi é uma delícia. Para além das imagens da produção da Nitto, apresenta uma entrevista a Akira Yoshikawa, o seu presidente, que, carregadinho de ironia, vai lançando pérolas como:

“O que penso sobre a manufactura no Japão… Não produzimos o que não somos capazes de produzir. Nunca nenhum da nossa equipa fez triatlo por isso nem sequer sabemos o que triatlo é. Se nós também fazemos cerâmica, por isso somos capazes de fazer qualquer coisa nessa área.”

“O carbono tem a melhor performance neste universo competitivo do ciclismo. Mesmo que seja muito caro, as pessoas compram. É um preço justo para esta indústria. É leve e fácil de utilizar mesmo para quem não é profissional. 

Mas… tenho dúvidas relativamente à sua segurança. Normalmente uma bicicleta cai, certo? Tenho a certeza que sim. (…) Como as resinas sintéticas são vulneráveis ao impacto, o metal acaba por ser muito mais económico e durável se vais utilizar a bicicleta por mais de 10 anos. 

O nosso objectivo eterno é a demanda por um metal cada vez mais leve. Desenvolvemos diversos tipos de chromoly e titânio. E também diversos tipos de alumínio, 5 ou 6. Vês o nosso armazém e perguntas-te como não confundimos os materiais – é porque produzimos tudo aqui. É por isso.”

Kona Rove

August 22, 2014 in kona

kona (1 of 1)

O Hugo veio buscar esta Kona Rove. Trata-se de uma bicicleta para, entre outras coisas, fazer viagens e andar por sítios menos, digamos, lisinhos.

A menina está equipada com um grupo Shimano Claris, travões Cruz Disc. Os pneus são uns Freedom Ryder na medida 700/32, largos o suficiente para ajudarem a suportar a carga que é suposto suportar, para muitas horas em cima da bicicleta com conforto e para aguentar as estradas “mais trilho que estrada”.

kona 2 (1 of 1)

A opção do cliente foi para o quadro e forqueta de alumínio (em alternativa ao Cromoly, mais dispendioso), conseguindo-se assim um bom compromisso entre o preço e o propósito da bicicleta.

Manda a lei…

August 22, 2014 in Bobbin

hummingbird

… que quem usa a bicicleta no dia-a-dia deve andar bem equipado. Também manda que, quem o faz de fato e gravata, o faça com uma bicicleta a condizer.

Este é o Bernardo e esta é a sua Hummingbird da Bobbin.

Coluermania

August 22, 2014 in Coluer

vintage (1 of 1)

sixties (1 of 1)

A Coluer é mesmo a mania deste Verão. Ali em cima uma Vintage e uma Sixties a sairem da Megastore do MMM, aqui em baixo uma Sixties a sair da Megastore dos Anjos.

sixties 2 (1 of 1)

Aos poucos isto vai

August 20, 2014 in Bobbin

birdie (1 of 1)

A Joana é uma das mais recentes convertidas a isto de andar de bicicleta na cidade. O namoro demorou algum tempo, mas foi desta que a Birdie verde foi para casa.

Velo Culture, a meter bicicletas bonitas nas ruas desde 2011.